quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

,

Olham pra dentro de si,
com fios escapando aos ouvidos
rocando canções de guerra
por entre canhões e gemidos,
deixando esse mundo em pedaços.

Milhares de transeuntes
postos aqui lado a lado
seguindo as leis dos segundos,
com seus corações imundos
deixando esse mundo em pedaços.

Entram em seus universos
pensando que em mãos têm tudo,
mas deixo escapar em meus versos,
que provam á eles o inverso:
em suas mãos não há nada
além da porta de entrada
pra a perturbação social
deixando esse mundo em pedaços.

Parto-me ao ver essa dor
quando parto a partir desse trem
e quebro a lei da inclusão,
a ideia dessa geração,
de que todos têm tudo na mão
quando de fato não têm.
Sou a vírgula que perpetua
a vida dos homens sem laços
querendo partir para a Lua
deixando esse mundo,
em pedaços.