quinta-feira, 21 de março de 2013

O Destino


Foi quando num belo dia fiquei pra trás. Simplesmente. Do nada. Parei de acelerar e fui ficando pra trás. Vi-me distanciando do que a pouco almejava, do que quase tive nas mãos... assim, ficando para trás. Muitos me ultrapassavam e às pressas indagavam se havia algo errado. Não compreendiam o porquê de eu estar perdendo a velocidade, de não seguir acompanhando o fluxo, de ser ultrapassado por uma kombi cheia de freiras. “Você está ficando para trás!”, diziam eles. E eu fui parando, parando, parando... parei. Contornei a rotatória e os buracos da vida, fiz o balão (um desses bem bonitos e coloridos). Voei. Voltei. E na contra-mão de todos, comecei tudo de novo.

E eles seguem dizendo à todos “aquele maluco está ficando pra trás!”. 
E eu sigo pensando comigo “esses malucos estão indo para o lado errado”.

sábado, 16 de março de 2013

Sois Sóis Sós


Lá fora, por detrás das nuvens há um astro rei. Mas, honestamente, não sei porquê o chamam de rei afinal. Dizem que ele é quem dita quando começa e termina o dia, quando há ou não há a luz sobre nós. E o calendário humano o respeita e o obedece como se de fato fossem suas ordens que denotassem o destino da humanidade. Mas a realidade é que ele esta lá, sempre imóvel. Sempre intacto.  Sempre distante. Sempre calado... Talvez a humanidade não tivesse ao certo notado que não é o Sol quem dita quando o começa e quando termina o dia e pois sim, quem executa essa tarefa é o próprio peneta Terra, com seu vivaz movimento rotativo eterno. O poder está em cada um dos planetas. A vida está em cada um dos planetas. Os verdadeiros reis são cada um dos planetas. Reis de seus próprios eixos. Reis de si.

É triste ter toda a energia voltada nos elementos errados da vida. Mas o mundo esta cercado de regras carcerárias, nas ideias e nos conceitos. Fugo-me, em estranha válvula de escape que por mim próprio foi desenvolvida. Mas olho pela janela e vejo muitas jovens pessoas estagnadas, que parecem perecer cedo demais. E de fato perecem. No interior das pessoas, vivem os mais belos planetas do universo... Mas todas elas continuam buscando ser Sóis. Escravas de seus próprios eixos. Escravas de si.

quinta-feira, 14 de março de 2013

O Muro de Março

O frio de agora
tocara minha pele
e trocara o que outrora
queimava em mim na aurora
de um calor que me repele.

E de surpresa trouxera
consigo as lembranças de um ex-mundo
Na memória, em qualquer cantinho imundo.

E sinto, tenho um tanto de medo
E cedo, temo um tanto de tudo
E digo, tento mudar o enredo
E fito, tinto um novo futuro.

Pois de sonhos, meu mundo está repleto,
mas os planos, metas e contos,
jogo todos para o mesmo ponto,
uma interrogação para o além-muro.