sexta-feira, 23 de abril de 2010

Trilho Seco



Hoje, estou triste por um mundo que chora em poucas palavras abreviadas. No trem, milhões de pessoas todos os dias... tão vazias de alma, mas cheias de um orgulho inválido por seus aparelhos celulares. Louco, – exclama um normal – todo aquele que não tem fios por sair das orelhas! Normais, são aqueles cujas falas soltam-se em um imensurável e complexo ar. São aqueles que insistem em conversar sozinhos, mesmo estando rodeados de outros seres humanos tão vazios quanto eles. No olhar desses normais, busca-se algum pingo de vida. Mas eles seguem a envidraçar a íris, que chora, desesperada, aprisionada por trás das vitrines. Hoje, estou triste por crianças que aprendem a se abrigar em casas sem telhado. Crianças que já não descobrem a vida humana, mas  tão cedo vêem-se tomadas por toda a sujeira dela.