quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

Carta Para Meu Filho

Sei que com isso posso estar burlando algumas regras universais, mas gostaria de lhe dizer algumas coisas. Não sei em qual fase da vida está tendo contato com essa carta pela primeira vez. Dependendo dela você provavelmente irá ignorá-la. Mas pense em seu pai nesse momento como um amigo de 25 anos. Talvez ajude!

Filho, muitas vezes você irá pensar que eu e sua mãe sabemos todas as respostas para todas as coisas. Eu juro por Deus que enquanto eu puder tornar essa máxima verdadeira, eu farei, mas em algum momento você vai perceber que não, não sabemos todas as coisas. O importante é que você não tenha medo: Ninguém sabe de todas as coisas.

Quando você começar a sair de casa, seja pra escola, ou pra outra coisa qualquer, já vai começar a se deparar com a maior cadeia das nossas vidas: o tempo. Não podemos fugir disso, em nenhuma fase da vida. O tempo é real, avassalador e autoritário. Ele realmente manda. Mas a lição boa desse parágrafo, meu filho, é que você não deve ver o tempo como um inimigo. Quando você aprender a enxergá-lo como um cara que segue ordens universais e não pode parar o seu trabalho por nenhum segundo, vai perceber que na realidade ele até pode ser um bom amigo. Ah! isso vai ficar muito claro na primeira vez que você realmente precisar dele. O tempo, na real, é nosso amigo.

Muitos pais gostariam de ver seus filhos sorrindo. Quero que você sorria muita. Ria o máximo que puder. Quero que você diáriamente tenha aquelas gargalhadas de doer alguma coisa na barriga que nem sabemos o que é. Mas, cara, não tenha medo de chorar. Quando for a hora de chorar, simplesmente chore. Desmorone. Talvez quando eu tiver uns 50 anos e por um acaso ou ironia me deparar com você chorando, eu tente fazer de tudo pra impedir isso, mas me ignore. Seu pai com 25 anos lhe diz, chore. É um pouco irônico, mas isso vai te fazer dormir melhor.

Experimente o mundo com o pé embaixo! Não estou dizendo pra usar drogas até morrer, nem pra pular de um prédio para outro praticando Parkur, mas estou dizendo que você pode conhecer o que sentir vontade de conhecer: jogos, cidades, comidas. Acredito, meu filho, que viemos pra esse mundo com missões em duas etapas: primeiramente sonhamos e depois tornamos o máximo desses sonhos em realidade. Então sonhe, então realize. Temos liberdade para ser ousados.

Durma! Essa lição parece ser menos relevante do que as outras, mas acredite no seu jovem velho pai, não é. Durma sempre que puder. Quando começares à experimentar o mundo, em algum momento, vai se esquecer de dormir, seja por êxtase, seja por curiosidade... Isso é normal. Mas quando essas fases passarem, não deixe que nada estrague suas noites de sono. Não deixe que aqueles sonhos dos quais viemos para sonhar se tornem pesadelos. Durma, meu filho, durma. Isso pode tornar muitas tempestades em pequenos respingos.

Nunca, nunca, nunca se esqueça dos seus amigos. Esteja sempre colado neles. (Não vou te ensinar aqui como identificar os verdadeiros amigos, você conseguirá isso sozinho). Os amigos são como backups pra vida. Seja o backup deles também. É assim que funciona. Isso é muito sério filho, nunca, nunca, nunca fira um amigo. Nunca machuque um amigo. Fique à quilômetros de distância de qualquer coisa que possa machucar o seu amigo. Porque o rompimento de uma amizade tem poderes desastrosos, muitas vezes piores do que uma morte na família. Esse conselho é importante: cuide muito bem dos seus amigos!

Você certamente vai aprender a amar e certamente vai ter milhões de motivos pra se arrepender de amar. Mas NUNCA se arrependa. Apenas ame. Não se trata de um sentimento, se trata de um combustível para todo o universo. Ame. Filho, ame. O amor cura todas as coisas. O amor faz, de maneira quase transcendental, viajarmos para uma perfeição. Por mais que saibamos que perfeição não existe, a ilusão de perfeição causada pelo amor é tão grande que ela se torna real, não importa o que nos digam.

Muitas vezes os amores são rompidos bruscamente, sem um culpado aparente. Não posso te proteger disso: alguns amores, por N motivos, simplesmente se vão. E eles sempre deixam o vazio em si. Mas é agora que vem a lição mais importante de todas: lembre-se de todas as lições anteriores!

Ninguém sabe de todas as coisas. Nem você, nem eu, nem ninguém.

O tempo é seu amigo e seu aliado, deixe-o fazer seu implacável trabalho.

Chore, no limite do que houver para ser chorado. E sorria o máximo que puder, sem qualquer limite.

Experimente o mundo com o pé embaixo! Temos liberdade para ser ousados.

Durma.

Nunca se esqueça dos seus amigos. E nunca os fira!

E enfim, novamente, ame.

De seu pai, Vinícius Nunes Franco, em 11 de Janeiro de 2017.

Nenhum comentário:

Postar um comentário