sábado, 25 de abril de 2015

A Anti-Poesia do Amor Platônico

Esta não é uma poesia.

Não é, pois não consigo a escrever.

Há um verso latente,
que se esconde
sob as luzes negras do meu ser.

Mas não é este.

Nem este não é.

Sei que existe a poesia
aqui em mim ou em você,
mas sei também
que não é isto
que agora lê.

Em minha mente
sinto muito, tanto quanto minto,
omito o que a mente sente
transformando esse verso latente
em um pequeno rabisco de mito.

Temo meu cantarolar
e tenho tanto pra dizer,
só que não digo,
não consigo,
não encontro o jeito certo de o fazer.

Não é mútuo o sentimento seco a ter por mim o verso branco,
velho conhecido
que todo amor
mal correspondido requer.
Por muito eu busco a rima,
com amor em demasia
e veja só que ironia:
a poesia não me quer.

Nenhum comentário:

Postar um comentário