sexta-feira, 15 de junho de 2012

Noutros Cantos

Andamos pelas ruas deixando um pouco de nós em cada esquina da cidade. Explico-me desde já: em algum canto daquele lugar há muito tempo não frequentado, existe um pouco de si. Deixaste-te lá! 

Lembro-me do verão de 2009: o parque, as árvores, o cão-amigo. Ainda me sinto lá. Há um pouco de mim depositado naqueles bancos, naqueles becos, naqueles cantos. 

Porém, o tempo engole os dias e apesar de termos esparramando-nos em cada rua que passamos, tudo não passa de uma eterna reminiscência. 

No parque, os pássaros cantavam, quase que comigo. Hoje, busco esparramar-me noutros cantos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário