segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Acordes

As gotas frias matutinas
ainda pairavam entre nós
e no princípio da jornada
rotineira à madrugada
eu vi um pássaro
à passar-me sua voz:
acordes.

Naquele canto
residia
todo encanto
que eu queria
pra buscar
em melodias
novas notas:
acordes...

E pela estrada que seguira
com destino demarcado
em minha face via a brisa,
o brio breu abria a cara
enquanto o vento assobiara:
acordes, acordes e acordes

Quando cheguei
em tua sacada
ainda o frio
ali pairava.
No fim do escuro,
quase de dia
uma pedrinha
resvalava
em tua janela,
enquanto à espera
lá de baixo
eu gritava:
- Acordes!

Nenhum comentário:

Postar um comentário