quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Não coma na chuva

Cuidado com sapatos verdes. Se seu relógio estiver abaixado, jogue três limões no caderno. Pegue uma panela e enterre abaixo do lustre, sob as pétalas amarelas do avião de Bill Clinton. Acrescente em si três colheres de cordas para violão-celo. O que sobrar pode pegar pra você, não vou usar. Toda escada tem passaporte, todo mercado tem saco plástico. Se ontem a noite estava fria, sinal de que formigas também cantam "My Way". Se todos os trens forem pra marte, seu cabelo cairá. Se os gnomos souberem irlandês, fodeu. Talvez uma garota passe lá pelas 11h no prédio do seu tio e você não saberá qual botão apertar. Esteja sempre atento aos cogumelos. Pássaros ainda não falam pra evitar transito hospitalar. Cachorros são melhores do que gilós, pois da janela eles entendem. Sorvete de flocos serve pra abrir gavetas quando o camundongo não souber onde deixou as chaves do ônibus. Se os ingressos estão no seu bolso, dirija-se ao poupatempo. Se o 18° à esquerda estiver de olhos abertos, bata três vezes com a cabeça na parede. Se o vidro estiver embaçado, ao mesmo tempo que o macaco Jones cantar o hino de Alemanha numa sexta-feira ímpar, quebre três galhos de pessegueira. Quando o fio de cobre voltar pra casa, compre Muffins. Depois disso, digite três para falar com um de nossos atendentes. Camelos também têm rins. Ao avistar Cabo Frio, esquente-o. Leve seus dedos ao fogo até dourar. O próximo celular que você comprar vai gostar de feijão rosa. Pés tem pulgas. Talvez seja a hora certa de voltar pra frente, sair pra dentro e subir pra baixo. CDs substituem torres. Meu primo é louro azul. Araras se arrepiam quando gotas caem. Você é mais alto que duas almas, porém mais baixo que uma só. Se todas as informações acima forem verdadeiras ou não, tanto faz. O amor é uma coisa louca. Adquira já o seu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário