quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Astronauta


Mesmo que por nobre esteio,
a ilusão do vôo
faz de mim um falso alarde,
faz-me réu

Falso crime entristece
a criança que aqui vaga
mesmo que por nobre esteio,
o devaneio
de tocar o céu

Nenhum comentário:

Postar um comentário